• João Francisco Giélamo - Neuropsicólogo -

Memória: Como o sono ajuda na sua memorização.


Existem duas regiões do nosso cérebro que são utilizadas para armazenar os conteúdos da memória: o hipocampo e o córtex cerebral. O hipocampo que faz parte do sistema límbico do nossos cérebros, é o responsável especialmente pelas memórias de curto prazo, ou seja, sua função é a de absorver novas informações e, o nosso córtex cerebral, para o armazenamento grandes quantidades de informações por longo períodos - as nossas memórias de longo prazo.

Mas, qual é o papel do sono nesse processo?

De acordo com a Drª Monika Schönauer e o professor Steffen Gais do Instituto de Psicologia Médica e Neurobiologia Comportamental da Universidade de Tübingen, juntos a equipe de pesquisa, investigaram como as áreas do cérebro compartilham as tarefas de consolidar as as memórias recentemente aprendidas e qual o papel do sono nisso.

Com a utilização de imagens, a equipe de pesquisa demonstrou que o treinamento repetitivo permite que novos caminhos para as memórias sejam estabelecidas no córtex cerebral, dentro de um curto período de tempo. Porém, para tanto, estas não são suficientes por si só, também foi revelado que na aprendizagem consolidada, precisamos de uma boa noite de sono.

Como isso ocorre?

Em um dos estudos, os pesquisadores deram aos participantes, uma tarefa de aprendizagem, estes deveriam memorizar uma lista de palavras em sete repetições. Ao realizar esta tarefa, sua atividade cerebral foi registrada em uma máquina de ressonância magnética (RM). Doze horas depois, os sujeitos repetiram a mesma tarefa com a lista de palavras já aprendidas e uma nova. Metade das pessoas dormiu durante esse tempo, a outra metade ficou acordada. A prática repetida levou dentro de uma hora para recuperar o que foi aprendido usando o lobo parietal posterior, uma região do córtex cerebral. Por conseguinte, o envolvimento do hipocampo diminuiu.

Após esse estudos, foi possível verificar que não houve a participação ativa do hipocampo, e que a região do lobo parietal citada tem uma maior atividade para as memória dos participantes do estudo que foram submetidos ao sono, diferente para os que não dormiam, estes últimos precisam do uso do hipocampo para reforçar novamente o aprendizado conforme afirma a Drª Monika Schönauer.

Portanto, o processo de memorização tem maiores efeitos com uma boa noite de sono além das repetições de um conteúdo a ser memorizado e seu conteúdo pode ser armazenado permanentemente independentemente do hipocampo.

Não sabem ao certo como ocorre esse trabalho em conjunto do hipocampo e o córtex cerebral, como afirma Steffen Gais, chefe do grupo de pesquisa. Esses estudos são fundamentais para compreensão dos distúrbios de aprendizagem e memória, ajudando na evolução das teorias da memória.

Fonte: Reference:L. Himmer et al. Rehearsal initiates systems memory consolidation, sleep makes it last, Science Advances (2019). DOI: 10.1126/sciadv.aav1695

#neurociência #Memória #Neuropsicologia #AvaliaçãoNeuropsicologica #circuitoscerebrais

24 visualizações